7 de dezembro de 2018

George H. W. Bush e Doença de Parkinson

George H. W. Bush está sendo enterrado hoje. Tem sido relatado que parte de sua causa de morte foi devido à doença de Parkinson. Isso não é bem verdade.

Existem muitos problemas de saúde / outras doenças que espelham o Parkinson, mas não são.

Johnny Cash foi originalmente diagnosticado com Parkinson, mas o diagnóstico estava errado. Descobriu-se que era diabetes. Daryl Dragon, da banda Captain e Tennille, também foi diagnosticado erroneamente com Parkinson. Mais tarde, ele foi diagnosticado como tendo Tremores Essenciais ... próximo, mas não é a mesma coisa. Até mesmo Muhammad Ali foi diagnosticado erroneamente com D.P. Ele realmente tinha o Parkinson Pugilistico. Vem de muitos golpes de cabeça.

O problema do diagnóstico errôneo vem de todas essas doenças com alguns dos mesmos sintomas. Quando você vê alguém com tremores e / ou problemas de equilíbrio, o Parkinson é o primeiro pensamento. Como você pode ver, isso nem sempre é correto. Às vezes, é outra coisa. Porque essas doenças tendem a ocorrer com mais frequência em idosos, às vezes é apenas o processo de envelhecimento que traz os mesmos sintomas. É por isso que é tão difícil e geralmente leva muito tempo para obter um diagnóstico verdadeiro e correto da doença de Parkinson.

Bush 41, tinha algo um pouco diferente. Sua doença se chamava Parkinsonismo Vascular. Os sintomas são os mesmos do Parkinson tradicional, mas ocorrem de forma diferente. A causa é uma série de pequenos derrames que levam a tremores, problemas de equilíbrio e movimentos lentos que você vê nos pacientes de Parkinson.

O tratamento também é diferente. O Parkinsonismo vascular não responde à drogas tradicionais de Parkinson. É tratado da mesma maneira que você trataria um derrame ou ataque cardíaco. Você faz mudanças de estilo de vida para evitar mais golpes.

Para mais informações sobre o Parkinsonismo vascular, clique aqui.
Caso relacionado: Johnny Cash e o erro de diagnóstico de Parkinson.

Original em inglês, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: Chicago Now.

5 de dezembro de 2018

O cão labrador de Bush

Sully the dog sleeps next to the casket of the late US President George HW Bush

05/12/2018 Sully é um cão treinado e foi levado para a casa do ex-presidente assim que a ex-primeira-dama Barbara Bush faleceu

A foto do cão labrador Sully deitado em frente ao caixão do ex-presidente norte-americano George H. W. Bush foi talvez a imagem mais reproduzida no mundo nos últimos dias. Foi capa de jornais, inclusive do Cruzeiro do Sul, ilustrou noticiário televisivo e inundou as redes sociais. A história do cão é emocionante. Sully é um cão treinado e foi levado para a casa do ex-presidente assim que a ex-primeira-dama Barbara Bush faleceu. Bush pai, além da idade avançada, sofria de algumas doenças, entre elas um tipo de Parkinson que o obrigava a utilizar uma cadeira de rodas. O cão sabe atender a vários comandos, como atender telefone, buscar itens, abrir e fechar portas e, mais que tudo, fazer companhia àquele que foi o 41º presidente dos Estados Unidos.

Com a morte de Bush pai, o cão foi levado de avião do Texas a Washington, junto com o caixão, e após as homenagens fúnebres e o sepultamento, será doado ao Centro Médico Militar Nacional Walter Reed, em Maryland, para poder ajudar outras pessoas.

Há pesquisadores de diversas áreas tentando descobrir qual a razão da atual onda de paixão da população mundial pelos animais domésticos, os pets. Tal paixão se reflete inclusive nos negócios, com o surgimento de inúmeras clínicas especializadas, lojas de ração e equipamentos e até hotéis para os bichos. Uma cena de maus-tratos contra animais, se captada por um celular, imediatamente viraliza nas redes sociais e o responsável corre sério risco de linchamento moral e até físico, tamanha a revolta que provoca na população.

Essa onda mundial de amor pelos animais trouxe com ela ações importantes para o convívio entre seres humanos e animais de estimação. Sorocaba, por exemplo, sempre teve nos bairros da periferia um grande número de animais abandonados. As feiras de adoção de animais são dessas iniciativas que vieram para amenizar o problema e impedir que muitos filhotes sejam abandonados nas ruas e se transformando em um problema de saúde pública. A Secretaria do Meio Ambiente de Sorocaba, por meio da Seção de Proteção e Bem-estar Animal realiza periodicamente feiras de adoção. Os responsáveis pelos filhotes de cães e gatos precisam fazer um cadastro antecipado junto a essa repartição pública. A próxima feirinha será realizada neste final de semana, no Campolim, e os interessados em doar ninhadas têm até amanhã para fazer o cadastro. Durante a feira os animais doados ou mesmo resgatados pela Prefeitura e mantidos sob a guarda do setor, são entregues para os chamados tutores que, necessariamente devem ser da cidade. Os animais, com até três meses, são entregues a essas pessoas já se alimentando de ração sólida, livres de parasitas e vermifugados. Interessados também podem se dirigir diretamente ao canil municipal, no Jardim Zulmira, para adotar cães e gatos. Fonte: Jornal Cruzeiro.

1 de dezembro de 2018

Elie Horn, fundador da incorporadora Cyrela

Elie Horn, fundador da incorporadora Cyrela Foto: Hélvio Romero/Estadão
(...) Elie Horn se afastou das tarefas executivas do dia a dia e passou o bastão da presidência para os filhos Raphael e Efraim. Ele está fazendo um tratamento contra a doença de Parkinson, doença que o acomete há quase seis anos. Mas a maior parte do seu tempo está voltado para a prática do judaísmo, da filantropia e para reuniões com outros empresários em busca de doações para causas sociais.

Em parceria com Rubens Menin, controlador da MRV, Horn lançou neste mês a ONG Bem Maior, que atuará na conscientização e na mobilização da sociedade civil para fomentar ações sociais. A meta do movimento é dobrar a participação das doações empresariais em relação ao PIB brasileiro nos próximos dez anos, passando de 0,2% para 0,4%. O próprio empresário está puxando a fila, e já anunciou o compromisso de doar em vida 60% de sua fortuna estimada em R$ 3 bilhões para caridade. A seguir, trechos da entrevista. (...) Fonte: O Estado de S.Paulo.

Aos 94 anos, morre ex-presidente dos Estados Unidos George Bush

A partir de 2012 o ex-presidente foi acometido por uma forma de mal de Parkinson, teve suas atividades físicas limitadas e passou a ser visto em público em cadeira de rodas
Foto: Adrees Latif / Reuters / Reuters
01/12/2018 - Morreu no início da madrugada deste sábado (1º), aos 94 anos, o ex-presidente americano George Herbert Walker Bush. O anúncio foi feito pelo porta-voz da família, Jim McGrath. As informações são do Jornal Folha de S. Paulo.

"Jeb, Neil, Marvin, Doro e eu estamos tristes em anunciar que, após 94 extraordinários anos, nosso querido pai morreu", disse seu filho, George W. Bush, que também foi presidente dos Estados Unidos  de 2001 a 2009, na nota divulgada por McGrath.

Bush foi o último presidente dos EUA a ter lutado na Segunda Guerra Mundial, a mais popular da história do país e um dos cinco no século 20 que perderam a reeleição. Ele assumiu a Casa Branca de 1989 a 1993.

Até então com boa forma física, a partir de 2012 o ex-presidente foi acometido por uma forma de doença de Parkinson, teve suas atividades físicas limitadas e passou a ser visto em público em cadeira de rodas.

Filho de um banqueiro e senador, Bush nasceu em 12 de junho de 1924 e fazia parte de uma família influente da elite da Nova Inglaterra. Fonte: Gaúcha ZH. Leia mais aqui: George Bush muere seis meses después de su mujer: el emotivo mensaje de su hijo.

6 de novembro de 2018

1a Miss América do estado de Arkansas morre, aos 76

NWA Democrat-Gazette/CARIN SCHOPPMEYER Savvy Shields, Miss America (left), visits with Donna Axum Whitworth, Miss America 1964 and a founding member of the University Women’s Giving Circle, at a reception in Axum Whitworth’s honor April 20 at the Fowler House Conservatory on the UA campus in Fayetteville.
Donna Axum Whitworth, a primeira Miss Arkansas a vencer a Miss América, morreu no domingo à noite devido a complicações de uma batalha de 12 anos contra a doença de Parkinson.

Whitworth, 76, passou um de seus últimos fins de semana em Fayetteville fazendo o que amava, representando o povo de Arkansas, disse sua filha, Lisa Mikus.

Whitworth e Mikus, ambos membros da irmandade Delta Delta Delta, participaram da inauguração da reformada fraternidade. Whitworth havia trabalhado para garantir que a renovação acontecesse, disse Kathryn Griffin, um membro da irmandade que trabalhou com Whitworth para arrecadar dinheiro para a casa. (segue...) Original em inglês, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: Arkansas Online.