29 de novembro de 2013

Nilton Santos sofria de Mal de Parkinson

Família sempre preferiu esconder a doença do ex-jogador de 88 anos
28 de novembro de 2013 | RIO - No primeiro dia de fevereiro de 2007, Nilton Santos passou a viver na Clínica da Gávea, decisão avalizada por médicos amigos. Ele sofria de Mal de Parkinson e era cardiopata. A pedido da família, a clínica informava que Nilton tinha Mal de Alzheimer, doença da qual não foi vítima. "Ele jamais teve Alzheimer. Acatamos o apelo da família, que preferia que o problema dele fosse divulgado daquele modo", revelou nesta quarta, ao Estado, o diretor da clínica, Paulo Valença, emocionado com a morte "de uma figura humana muito fraterna e querida". Fonte: O Estado de S.Paulo.

15 de outubro de 2013

Lendário técnico do Bayern sofre de mal de Parkinson, revela esposa

14/10/2013 | Um dos maiores técnico da história do Bayern de Munique e do futebol alemão, Udo Lattek sofre de mal de Parkinson - doença que causa degeneração e morte celular dos neurônios -, revelou sua esposa, Hildegard, em entrevista ao diário Bild, nesta segunda-feira.

Hoje com 78 anos, o ex-treinador fez carreira no Bayern com duas passagens bem-sucedidas nos anos 1970 - quando conquistou por três vezes o Alemão (1972, 1973 e 1974), uma Copa da Alemanha e uma Liga dos Campeões da Europa (1974) - e na década de 1980 - mais três campeonatos nacionais e duas Copas da Alemanha.

Além disso, ganhou em duas oportunidades o Campeonato Alemão e uma vez a Copa da Uefa pelo Borussia Monchengladbach. Ainda passou pelo Barcelona entre 1981 e 1983.

"Meu marido tem Parkinson. Se meu Udo ficar deitado por alguns dias, então ele normalmente precisa de uma cadeira de rodas. Têm dias em que o estado da mente de Udo é muito instável", disse Hildegard ao tabloide da Alemanha. Udo Lattek está com a saúde frágil desde 2010, quando sofreu um acidente vascular-cerebral, e vive em Colônia. Fonte: MSN.

11 de outubro de 2013

Hugo Carvana fala sobre mal de Parkinson: 'Queria a energia da cabeça no corpo'

QUINTA-FEIRA 10 OUTUBRO 2013 - Hugo Carvana, ator, cineasta e diretor, anunciou que já está se preparando para aposentadoria e falou sobre o mal de Parkinson, doença que foi diagnosticada há quatro anos. "A raiva que tenho é esta: queria que meu corpo tivesse a mesma energia que tenho na cabeça. Mas continuo na comédia para sempre".

Em entrevista a revista "Personalitté", Hugo contou que tem sentido a perda de equilíbrio e a lentidão decorrentes a idade, 76 anos, e a doença."A única coisa que lamento [por envelhecer] é não ter mais agilidade", disse ele, que com bom humor falou sobre a paixão pela comédia. "Eu tenho a bactéria do humor. Toda minha obra como autor sempre foi voltada para a comédia. Tenho muito orgulho de dizer que não sigo tendências, faço isso desde 1973, com Vai trabalhar, vagabundo".

Casado com a jornalista Martha Alencar, o ator falou sobre o amor pela esposa, o sexo e seu significado. "Estou mais amoroso e afetuoso. Talvez ame mais a Martha hoje do que 40 anos atrás. Sexo não é só orgasmo. O prazer de estar junto, um beijo, um abraço, um filme de mãos dadas... Isto é sexo: essa energia que vai de um para o outro", disse ele. Fonte: Pure People, com fotos.

7 de outubro de 2013

Leandro Konder

6/10/13 - ... Leandro Konder é, de muitas maneiras, o dono da festa. Sentado numa cadeira de rodas — consequência do Parkinson — ele é um dos principais motivos para a existência de “Os comuníadas estão chegando!” (Casa da Palavra), livro que conta de uma maneira poética as reuniões como aquela, que acontecem há dez anos na casa do Zelito e da Vera de Paula. ...
Fonte: Globo G1.

14 de setembro de 2013

Domingos Oliveira despede-se dos palcos com Ocupação Clímax

Na série de espetáculos que será apresentada, destaca-se a peça 'Clímax'
13/09/2013 - Durante os meses de janeiro e fevereiro, o Teatro Glaucio Gill será de Domingos Oliveira. É lá que o dramaturgo, ator e diretor comanda a Ocupação Clímax, que tem na programação os espetáculos “Barco de Papel”, “Negrinha”, “Depois do Filme” e “Stand Up”. Além das peças, a programação também conta com um curso especial chamado “Tardes Inesquecíveis com Domingos Oliveira”, ministrado pelo próprio diretor.

A principal montagem é “Clímax”, escrita e dirigida por Domingos. Este trabalho marca o retorno do dramaturgo aos palcos, depois de ficar quase dois anos sem atuar – sua última peça foi “Sentimento do Mundo” (2011). Paradoxalmente, Domingos vê o espetáculo como sua despedida como ator.

– Não tenho mais vontade de fazer teatro como ator. Isso demanda uma vitalidade e uma saúde que não tenho mais. É algo que sinto falta em mim, mas também acho que já fiz tudo o que tinha vontade de fazer em cima dos palcos. Nunca diga “dessa água não beberei”, mas tenho a impressão de que essa é uma despedida. Minha ideia agora é me dedicar mais ao cinema, onde sinto que ainda tenho muito o que explorar – frisa Domingos, que tem dois longas-metragens inéditos para serem lançados: “Primeiro Dia de um Ano Qualquer" e “A Paixão e o Acaso”. (...)

– Quis falar sobre a minha velhice e a proximidade da morte. São coisas pelas quais todos nós passamos. Também tinha vontade de abordar o Mal de Parkinson, que tenho há 14 anos. Apesar de não matar, machuca muito. (segue...) Fonte: Globo G1 (com fotos).

1 de setembro de 2013

Gerardo Manuel: “Nunca te acostumbras al Parkinson

Músico cumple 50 años en su papel de difusor de la cultura rockera en el Perú, en medio de una enfermedad que le consume los ahorros y la energía

SÁBADO 31 DE AGOSTO DEL 2013 - Empezó como un temblor que fue afectando su función motora y que, al día de hoy, todavía no se acostumbra. Lo trata de esconder cogiéndose una mano, cruzándose de piernas, haciendo pausas. Gerardo Manuel Rojas (67), el mayor impulsor del rock en el Perú y conductor del mítico espacio de televisión Disco Club –26 años al aire–, está enfermo del mal de Parkinson y no le gusta hablar del tema. Este mes se cumplen 50 años desde que lanzó su primer programa, cuando solo tenía 16 años, en la Radio Regionalista de Ica, el departamento donde nació. Sus amigos músicos, que lo quieren, han aprovechado la ocasión para hacerle un concierto tributo. Una modesta “ayudita de sus amigos”, como ese tema de Los Beatles que Gerardo tantas veces cantó y que hoy necesita más que nunca.

Hace un año comentabas que te daba mucha cólera estar enfermo de Parkinson. ¿Se ha ido esa cólera o sigue ahí?
Esto es una dolencia que, tú sabes, no se va, hermano. Nunca te acostumbras al Parkinson. Hay que saber convivir con él porque está ahí siempre. Me molesta, pero qué voy a hacer. Peor es que la tome demasiada en cuenta. Creo que ha venido “la resigna”. La resignación. La función debe continuar. Lo otro que me queda sería que me tire del quinto piso, que haga la del cobarde.

¿Te deprimes con facilidad?
No es mi temperamento, de ninguna manera. Esto lo tomo con altura, con la dignidad del caso. Eso mientras existan las galletas de soda y el café [hace una larga pausa para beber sorbos de café acompañados con galletas de sal).

Pero ya no puedes tocar la guitarra…
No, ya no. No me gusta que me vean así, pero tienes que seguir en el asunto. Cantar sí puedo.

¿Qué sientes cuando ves el caso de Pedro Suárez Vértiz, otro músico que está recluido por una enfermedad?
Me parece una injusticia de la vida porque hay tanta gente mala que sigue de lo más bien y a los buenos siempre le pasan las cosas malas. Me da mucha pena lo que le pasa a Pedrito en siempre ha querido como a un hijo. Lo tengo en la más alta estima, como dicen los militares.

“Lee la entrevista completa en la edición de hoy de "Somos”.”: http://elcomercio.quioscodigital.pe/?ref=ecb
Fonte: El Comercio.pe.

26 de agosto de 2013

Morre ex-lateral De Sordi, campeão mundial em 1958

São Paulo FC/Divulgação / De Sordi não jogou apenas a final da Copa de 58





Domingo, 25 de agosto de 2013 - O ex-lateral-direito da seleção brasileira, Nilton De Sordi, morreu neste sábado, em Bandeirantes, no Paraná, em decorrência de falência múltiplas de órgãos. O ex-jogador do São Paulo tinha 82 anos e sofria do Mal de Parkinson. (segue...) Fonte: Território Eldorado.

Emil Pinheiro




20/08/2013 - (...) Emil Pinheiro foi presidente do Botafogo entre 1991 e 92. Além de mandatário, foi um dos principais diretores do clube no final dos anos 80, campeão carioca em 1989, após 21 anos de jejum, e 1990. Ele faleceu em 2001, em decorrência do mal de Parkinson. (segue...) Fonte: Globo G1.

24 de agosto de 2013

Linda Ronstadt revela que sofre de Parkinson e não volta a cantar


24.08.2013 - A cantora norte-americana Linda Ronstadt afirmou este sábado que sofre da doença de Parkinson e não poderá voltar "a cantar uma única nota".

O diagnóstico da doença foi conhecido há oito meses, datando de há oito anos os primeiros sintomas, escreve a cantora de 67 anos, no blog da associação norte-americana das pessoas idosas, citado pela AFP.

"Ninguém pode cantar com Parkinson, faça os esforços que fizer", escreve a cantora.

A cantora tornou-se célebre na década de 1970 com canções como "It's so easy" e "That'll be the day", e foi distinguida com 11 prémios Grammy.

No blog, a cantora dá conta como reconheceu a doença que inicialmente julgava que era algo relacionado com os músculos ou de foro neurológico, apesar notar que tinha "alguns tiques", escreveu.

"E então pensei que seria da via neurológica, estava a sofrer já há sete ou oito anos, reconheci os sintomas, mas depois fiz um operação às costas e pensei que era devido a tal que as minhas mãos tremiam", acrescentou.

Cantora de temas rock e country-rock, Ronstadt gravou também "rancheras" mexicanas. Segundo a AFP, na década de 1970 foi uma das cantoras mais bem pagas da música rock.

Linda Ronstadt fez mais de 40 álbuns e colaborou com vários artistas, nomeadamente, Emmylou Harris, Dolly Parton, The Eagles, James Taylor, Neil Young e Elvis Costello. Fonte: Jornal de Notícias.pt.

Linda Maria Ronstadt é uma cantora americana de cuja variedade de gêneros cantados pela sua voz lhe rendeu uma série de premiações e reconhecimento. Wikipédia
Nascimento: 15 de julho de 1946 (67 anos), Tucson, Arizona, Estados Unidos
Altura: 1,58 m. Diagnóstico 2013.

20 de julho de 2013

Morre o ator Sebastião Vasconcelos aos 86 anos

Ele sofria de Mal de Parkinson e estava internado com pneumonia
16/07/13 - RIO — O ator Sebastião Vasconcelos morreu na noite da última segunda-feira aos 86 anos. Ele estava internado desde o dia de 30 de junho no Hospital Israelita Albert Sabin, na Tijuca, com enfisema pulmonar e pneumonia e sofreu uma parada cardiorrespiratória. Vasconcelos tinha Mal de Parkinson, e chegou a ficar internado de 25 de abril a 5 de junho no mesmo hospital com o mesmo diagnóstico. O corpo será cremado na quarta-feira, no Cemitério do Caju, no Rio.

Nascido em Pocinhos, no interior da Paraíba, Sebastião Vasconcelos começou a carreira de ator nos anos 1950, em Recife, com o Teatro de Amadores de Pernambuco. Decidido a seguir a profissão, mudou-se na mesma década para o Rio. Mudou-se para o Rio em 1955 e logo foi convidado para integrar a companhia teatral Tônia-Celi-Autran, dos atores Tônia Carreiro, Adolfo Celi e Paulo Autran. Estreou fazendo "Otelo", de William Shakespeare. Em 1960, foi dirigido por Ziembinski em "As três irmãs", de Anton Tchekhov, numa montagem do Teatro Nacional de Comédia. (segue...) Fonte: Globo G1.

17 de junho de 2013

Morre aos 87 anos nos EUA o irmão mais velho do bilionário George Soros

Magnata e filantropo Paul Soros morreu sábado em casa em Nova York.
Ele tinha doença de Parkinson, câncer, insuficiência renal e diabetes.

O magnata Paul Soros em foto não datada
divulgada pela família (Foto: Reuters)
16/06/2013  - O magnata de transportes e filantropo Paul Soros, irmão mais velho do bilionário investidor George Soros, morreu no sábado (15) aos 87 anos, segundo seu filho.

Paul Soros faleceu em sua casa de Nova York, disse seu filho Jeffrey Soros. O "New York Times" afirmou que Soros se tratava contra a doença de Parkinson, câncer, insuficiência renal e diabetes.

"Por meio de suas inovações em engenharia, filantropia e relações pessoais, ele impactou profundamente muitas vidas", disse Jeffrey Soros em um comunicado.

Soros nasceu na Hungria em 1926, de acordo com a Fundação Paul e Daisy Soros para Novos Americanos, uma organização filantrópica de US$ 50 milhões que fundou com sua esposa para ajudar novos imigrantes nos Estados Unidos.

Ele estudou engenharia mecânica em Budapeste e desertou da Hungria em 1948, quando o país estava sob o regime comunista. Soros mais tarde encontrou o seu caminho para os Estados Unidos.

Em 1956, ele fundou Soros Associates, que se tornaria uma empresa de engenharia de renome internacional, que trouxe mudanças para a indústria de transporte a granel e construiu portos e terminais offshore em dezenas de países, segundo o site da fundação.

Soros escreveu dezenas de artigos técnicos e realizou uma série de patentes no manuseio de materiais e tecnologia offshore, de acordo com a fundação.

Mais tarde na vida, Soros trabalhou com o irmão mais novo George, investindo em empresas de mineração e indústria, de acordo com "Gigantes de Poly", uma homenagem biográfica publicada pelo Instituto Politécnico da Universidade de Nova York, onde Paul Soros fez um mestrado em engenharia no início de 1950. Fonte: Globo G1.

10 de junho de 2013

A Doença de Parkinson idiopática de Hitler

Em vista dos comentários abaixo, colhidos no site Neuro Talk, pesquisei e postei abaixo (44:38) o vídeo afim (History Channel Documentary Hitler's Secret Science), com possibilidade de legendas em português, publicado no YouTube.

Neuro Talk:
Gerry W.: Eu nunca percebi que Hitler tinha PD. Ainda mais curioso neste artigo é o seu caráter e traços de personalidade associados com DP.

mrsD moderador: Há um programa especial em um canal de Ciências.

mrsD moderador: É demonstrado que o tremor Hitler coincidiu com as injeções de metanfetamina seu médico pessoal estava lhe dando e pode ter sido devido a essa droga o tempo todo. Na verdade H estava tão intoxicado pela metanfetamina, que ele não conseguia coordenar os militares perto do fim da guerra, e é por isso que a Alemanha perdeu (desmoronou). Assim, enquanto a metanfetamina alimentou algumas bizarras decisões (Holocausto construído sobre sua paranóia que pode ter sido induzida por drogas), a droga esgota a dopamina e conduz ou exacerba os tremores e levou-o a ser incapaz de pensar mais.
Se você encontrar este programa... você vai descobrir que é muito interessante.  (original em inglês, tradução Hugo)

4 de maio de 2013

Espetáculo santista faz homenagem ao ator e diretor Paulo José

Apresentações acontecem até a próxima segunda-feira (6).
Programação paralela conta com palestras e atrações musicais.

03/05/2013 - A trajetória do ator e diretor Paulo José é o enredo do monólogo ‘Algumas Histórias’, que estreia nesta sexta-feira (3) em Santos, no litoral de São Paulo. As apresentações seguem no sábado, domingo e segunda-feira, no Teatro Munical Braz Cubas. A curta temporada ainda oferece programação paralela com mesas-redondas, palestras e atrações musicais.

No espetáculo, Bruno Fracchia interpreta um contador de histórias que narra a relação do ator com o teatro e com o mal de Parkinson, doença que há 20 anos acomete Paulo José. O texto é inspirado no livro ‘Memórias Substantivas’, de Tânia Carvalho, e a direção é de Paula D´Albuquerque. As apresentações acontecem às 21h nesta sexta-feira e sábado (5), às 17h e 20h no domingo (5) e às 20h na segunda-feira (6). (segue...) Fonte: Globo G1.

26 de abril de 2013

Ozzy Osbourne assume que voltou a usar drogas e nega separação de Sharon

Vocalista do Black Sabbath escreveu no Facebook que reve recaída, mas está sóbrio há mais de um mês
16/04/2013 - Ozzy Osbourne usou sua página no Facebook para admitir que teve uma recaída no vício em drogas e aproveitou para deixar claro que não vai se divorciar da esposa, Sharon. "Pelo último ano e meio eu estive bebendo e usando drogas. Eu estava em um momento sombrio e fui um idiota com as pessoas que mais amo, minha família", declarou o músico de 64 anos em uma postagem pública. "De qualquer maneira, fico feliz em dizer que agora eu estou há 44 dias sóbrio", completou o artista.

Ozzy já admitiu em entrevistas que usou entorpecentes por cerca de 40 anos. As substâncias tóxicas consumidas podem estar associadas às causas de doenças contra as quais o artista luta há algum tempo, como a Síndrome de Parkin — que provoca tremores e sequelas semelhantes às do Mal de Parkinson — e sintomas de surdez. Em 2010, o código genético do cantor foi tema de estudo do grupo de cientistas Knome, que investigou como Ozzy sobreviveu a tantos anos de abuso. A postagem sobre a recaída no vício foi saudada por fãs, que elogiaram a coragem do artista em tornar pública sua fragilidade e recuperação.

Sharon, a esposa a quem Ozzy Osbourne dedica a mensagem pública, é apontada como uma das principais responsáveis pela recuperação do artista, desde a década de 1980. Eles se conheceram ainda na época do Black Sabbath, quando o pai dela era empresário da banda. Ao ser demitido pelos outros membros do grupo, em 1979, o vocalista entrou em crise e recebeu apoio da jovem, que tornou-se sua empresária e, mais tarde, companheira. "Só para deixar bem claro, Sharon e eu não estamos nos divorciando. Eu só estou tentando ser uma pessoa melhor", escreveu o rockstar na mesma mensagem pela rede social. Eles estão casados há mais de 30 anos.

Em outubro, o Black Sabbath com Ozzy Osbourne nos vocais faz três shows no Brasil — em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre. Em junho, a banda lança o álbum '13', primeiro disco com o vocalista original em 35 anos. Fonte: R7 Record.

5 de abril de 2013

Michael J. Fox e seus movimentos – um ator com Parkinson

4/04/2013 | Ele sempre teve um jeito bem peculiar de andar, de sorrir. Meio malandro, meio McFly. Esse jeito peculiar um dia passou a ser um sintoma, para depois, tornar-se uma bandeira. Hoje, 4 de Abril, é o Dia do Parkinsoniano, dia também de lembrar do ator Michael J. Fox, e sua contribuição para a televisão, a arte, a vida. A doença de Parkinson é causada pela degeneração de uma pequena parte do cérebro chamada substantia nigra (substância negra). Conforme as células cerebrais da substantia nigra morrem, o cérebro começa a se privar da dopamina química. A dopamina permite que as células cerebrais envolvidas no controle dos movimentos se comuniquem, e níveis reduzidos de dopamina levam aos sintomas da doença. De acordo com a National Parkinson Foundation, 80% das células produtoras de dopamina são perdidas antes mesmo que os sintomas motores da doença de Parkinson apareçam. Embora sua incidência seja mais comum entre pessoas com mais de 50 anos, cerca de 10-20% dos doentes são diagnosticados antes dos 50 anos e apenas metade deste grupo é diagnosticada antes dos 40 anos de idade (Parkinsonismo juvenil). Movimentos mais lentos e/ou diminuição dos movimentos voluntários, rigidez dos músculos e principalmente das articulações, instabilidade postural e dificuldades relacionadas ao equilíbrio, com quedas freqüentes, tremores, tudo isso são sintomas da Doença de Parkinson. Ainda não se sabe como estas alterações ocorrem e o porquê; as teorias incluem o envelhecimento da população, susceptibilidade genética e fatores ambientais. O mais provável é que a doença seja causada por uma combinação de todos eles. O tratamento consiste no uso de medicamentos que repõem parcialmente a dopamina que está faltando, fisioterapia, psicoterapia e, em alguns casos selecionados, cirurgia. Como ainda não há uma cura, o objetivo é reduzir o prejuízo funcional decorrente da doença, permitindo que o paciente tenha alguma qualidade de vida. Mas mesmo passando por tudo isso, o ator Michael J. Fox não desistiu de seguir sua vida com muita qualidade. Conhecido por aqueles que cresceram na década de 1980 pelo seu trabalho na série Caras e Caretas (Family Ties) e pela trilogia De Volta Para o Futuro, ele até passou um tempo afastado das telas, após revelar ao público que sofria da doença. Isso foi em 1998, quando tinha por seus 30 e poucos anos, quando a vida realmente estava para começar. Na época ele participava da série Spin City, a qual acabou abandonando para poder se tratar. Fox retornou anos mais tarde em pequenos papéis nas séries Rescue Me, Curb Your Enthusiasm e, mais recentemente, em The Good Wife. O ator se prepara para retornar à TV em uma sitcom da NBC, mesma emissora que o lançou no início da carreira. O projeto ainda não tem nome nem elenco definidos. Em 2000 Michael J. Fox criou a fundação que leva seu nome e tornou-se porta-voz em favor da pesquisa com células-tronco como forma de tratamento e desde então tem trabalhado de forma incansável para levantar fundos para financiar pesquisas que permitam um dia descobrir a causa e quem sabe a cura deste mal que atinge milhões de pessoas no mundo inteiro. Fonte: Teleseries.uol.

25 de março de 2013

Jennifer Lopez é homenageada em premiação nos Estados Unidos

Cantora foi com o namorado, Casper Smart, a evento beneficente em prol da cura da doença de Parkinson.

Jennifer Lopez foi homenageada durante a 19ª edição do prêmio “Muhammad Ali Celebrity Fight”. A cantora, que estava com o namorado, Casper Smart, também se apresentou no evento beneficente em prol de pesquisas que visam a cura da doença de Parkinson. A premiação foi realizada em Phoenix, nos Estados Unidos, neste sábado, 23. (segue...) Fonte: Ego G1.

23 de março de 2013


Cardeal que anunciou o 'Habemus Papam!' luta contra Parkinson

23/03/2013  |  Roma, (SIR) - O Cardeal proto diácono francês, Jean Louis Tauran, encarregado de anunciar a eleição do Papa Francisco no Conclave, teve que realizar esta tarefa lutando contra o Parkinson que padece desde 2012. As centenas de milhares de pessoas que abarrotavam a Praça de São Pedro ou seguiam o anúncio pelos meios de comunicação foram testemunhas das dificuldades com as que o Cardeal Tauran anunciava a eleição do Papa Francisco.

A causa é a enfermidade de Parkinson que o Cardeal Tauran sofre e que deteriorou seu aspecto físico nos últimos tempos. O primeiro sinal da enfermidade foi detectado em abril de 2012, enquanto concelebrava a Missa do Domingo de Páscoa com o Bento XVI. O Cardeal desmaiou e teve que ser ajudado para abandonar o altar e descansar. O Cardeal se sentou junto ao altar e permaneceu ali toda a Missa. Nessa oportunidade do pensou-se que tinha sido produzido pelo forte calor na Praça de São Pedro. Posteriormente souberam que a razão era a enfermidade de Parkinson.

O Cardeal Tauran nasceu em Bordeaux, França. Fala espanhol, inglês e italiano e é membro do corpo diplomático do Vaticano desde 1975. Preside o Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso e é o principal encarregado das relações da Santa Sé com os muçulmanos. Fonte: Dom Total.

17 de março de 2013

Sonia Rykiel, diseñadora de moda: "El Parkinson es una pesadilla, pero también un desafío"

por LYDIA SLATER (THE TIME MAGAZINE, 2013)
09 mar 2013 - Con 82 años, la excéntrica diseñadora del pelo rojo sigue disfrutando del arte, el amor, la moda, el vino, el tabaco y el chocolate. Durante más de una década, ha mantenido en secreto su enfermedad, pero ahora habla de ella con humor y crudeza. ¿Y se arrepiente de algo? “Claro, porque he vivido”. Leia na íntegra a história de Sonia Rykiel em Mujer Hoy.

28 de janeiro de 2013

Morre na África do Sul polêmico criador do Museu do Apartheid

Johanesburgo, 27 jan (EFE).- O magnata Abe Krok, controvertido criador, ao lado de seu irmão gêmeo Solly, do Museu do Apartheid, em Johanesburgo, e da célebre máquina depiladora Epilady, morreu nesta semana na África do Sul, aos 83 anos de idade, informou neste domingo o jornal 'Sunday Times'.

Krok, que era um químico de formação, sofria do mal de Parkinson e demência senil. Ele ficou rico ao lado de seu irmão ao montar uma indústria farmacêutica.

Durante os anos do regime racista do apartheid, os Krok fizeram fortuna com a venda de um creme para branquear a pele muito popular entre os sul-africanos negros.

O produto, concebido pelos dois irmãos na cozinha da casa de sua mãe, continha hidroquinona, uma substância que despigmenta a pele.

A África do Sul proibiu este tipo de creme em 1990, já no fim do governo segregacionista imposto pela minoria branca, por seu suposto perigo para a saúde.

Pouco depois, os Krok deixaram a indústria farmacêutica para se dedicar ao jogo, com a abertura de cassinos e a fundação, em Johanesburgo, do parque temático e de atrações Gold Reef City.

Ao lado do parque, Abe e Solly criaram em 2001 o museu do Apartheid, um dos lugares turísticos de mais sucesso da cidade de Johanesburgo, onde a vida durante o regime racista é relatada com rigor e emoção.

O lançamento no anos 80 da máquina depiladora Epilady, que as filhas dos gêmeos se encarregavam de vender nos Estados Unidos, foi outro das grandes conquistas comerciais dos Krok. Abe Krok também tinha negócios imobiliários e hoteleiros.

Apaixonado por futebol, ele foi proprietário do time Mamelodi Sundowns, da primeira divisão do campeonato da África do Sul.

Nascido em Johanesburgo em uma família judia que veio da Lituânia para a África do Sul em 1920, Abe Krok deixa seis filhos e sua esposa Rosie, além de uma fortuna, cujos herdeiros já começaram a disputar nos tribunais, estimada em cerca cem milhões de euro, segundo a imprensa local. Fonte: Globo G1.

19 de janeiro de 2013

Bill Clinton: tremor de mão não é de Parkinson

01/18/13 - O ex-presidente Clinton, na quinta-feira, descreveu um pequeno tremor em sua mão como um produto do envelhecimento normal e não a doença de Parkinson.

Clinton mencionou o tremor ocasionalmente perceptível enquanto participava, em nome de sua fundação, do Desafio Humana.

"Tenho uma condição que às vezes você começa com o envelhecimento", disse Clinton. "Minha mão tem um pequeno tremor quando eu estou cansado, e um monte de gente faz isso quando está mais velho."

"A primeira vez que isso aconteceu, eu tive que marcar consulta para ter certeza que não tinha Parkinson, e fiquei tão aliviado que não me importava o quanto ele balançou depois disso", disse ele.

O tema surgiu quando Clinton discutiu proibição no golfe de apoiar as mãos contra o corpo.

O ex-presidente falou sobre seu tremor e diagnóstico negativo para Parkinson em 2009, com Sanjay Gupta, da CNN.

"Se eu tivesse Parkinson, queria saber para que pudesse me preparar. Tinha consultado e o médico disse 'não'. Ele diz que é apenas um fenômeno normal de envelhecimento ", disse Clinton.

O Desafio Humana termina domingo, no PGA Palmer West em La Quinta, Califórnia conforme CNN informou sexta-feira. (original em inglês, tradução Hugo) Fonte: The Hill.

14 de janeiro de 2013

Domingos Oliveira cria alter ego e aborda Parkinson em peça

‘Clímax’ traz o autor e diretor em cena, como um amante da literatura policial

14/01/13 - Aos 76 anos, Domingos Oliveira acaba de inventar um alter ego sob medida para tratar de temas e questões inéditos em sua trajetória artística. Com estreia prevista para sábado, no Teatro Gláucio Gill, a peça “Clímax” traz o autor e diretor em cena, como um amante da literatura policial diagnosticado com o Mal de Parkinson, mas que se deixa absorver apenas pelo prazer dos mistérios e por sua livre e irrequieta imaginação — mais próximo de Domingos, impossível. Inquieto e eternamente apaixonado por seus novos planos, ele trabalha para lançar dois filmes e está prestes a filmar com Fernanda Montenegro a peça “Do fundo do lado escuro”. Além disso, nos próximos meses cuida da programação do Gláucio Gill, que terá solos de Aderbal Freire-Filho, Maria Mariana, Sara Antunes e um stand up do ator Matheus Souza, seu pupilo na “vida real” e principal algoz nesta nova montagem teatral.

O que o levou a escrever esta peça?
Queria falar das vivências de um homem mais velho. A finitude e as limitações da vida, a dor e o medo. O medo da morte e como a ideia de estar ligeiramente convidado a acabar altera sua visão do mundo. Mas, principalmente, eu queria falar sobre o Parkinson. Tenho a doença há 14 anos.

E nunca falou sobre...
Não faço alarde porque não tremo, é uma doença que não mata e não altera a minha produtividade. Mas queria abordá-la porque é curiosíssima e tem as mesmas características do medo. Assim como ele, ela nos paralisa. No Parkinson você envia uma ordem ao músculo, mas ela se atrasa e, às vezes, não chega. O cérebro deixa de produzir um hormônio que a transmite, então você ordena e nota, decepcionado e humilhado, que não é mais obedecido.

Por que o teatro para tratar dela? Qual foi sua preocupação ao transpor para a cena algo tão pessoal?
Eu tinha um diário que parecia um monólogo, mas daria numa peça sobre a doença, que afastaria as pessoas. Tenho horror a autopiedade, não me queixo. Se perguntar se está tudo bem, digo que sim, e com sinceridade, porque sei que eu poderia estar muito pior. Mas não me vejo como guerreiro, e sim um funcionário da vida, que trabalha no departamento de propaganda. Estar do lado da vida ou da morte é uma questão de opção. Assim como time de futebol. É preciso saber em qual arquibancada sentar, e se o seu time estiver perdendo o campeonato não é isso que vai fazer você deixar de torcer. Então, a adesão à vida é incondicional.

Como fez para driblar o solo sobre a doença e como ela está inserida nessa nova dramaturgia?
Num dia me desceu com força uma história policial, que sempre gostei de ler, mas não se vê no teatro. Imaginei um detetive de cadeira de rodas que tivesse Parkinson, para que eu pudesse fazer. Me pareceu engraçado, e aí me veio o antagonista, um jovem ágil, na melhor fase da vida, no auge da potência, um contraponto. É um duelo entre o bem e o mal. Velho tema. Que recursos pode ter um velho entrevado contra um jovem sadio e potente? Mas ele os tem, intelectuais e espirituais. É uma ótima história, daria um puta filme. (segue…) Fonte: Globo G1.

13 de janeiro de 2013

Ex-presidente George H.W.Bush pode deixar hospital em breve, diz porta-voz

13/01/2013 - AUSTIN, Estados Unidos, 13 Jan (Reuters) - O ex-presidente dos EUA George H.W. Bush, que está hospitalizado em Houston desde novembro, pode ter alta nos próximos dias, disse um porta-voz da família no domingo.

"Temos esperança de que o presidente possa receber alta nesta semana, mas estamos levando um dia de cada vez", informou o porta-voz, Jim McGrath em um e-mail. (…)

Bush tem doença de Parkinson na parte inferior do corpo, que causa perda de equilíbrio, e usa uma cadeira de rodas há mais de um ano. (segue...) Fonte: Globo G1.
Doença de Parkinson na parte inferior do corpo? Nunca ouvi falar. Sei que um lado pode ser mais atingido que o outro! Mas em cima diferente de baixo?