3 de dezembro de 2014

Morre em Aracaju a cantora Clemilda Ferreira, ícone da música nordestina

Ela enfrentava complicações de um derrame cerebral e pneumonia.
Com 50 anos de carreira, Clemilda cantou sucessos do forró.

26/11/2014- A cantora Clemilda Ferreira da Silva, de 78 anos, morreu na madrugada desta quarta-feira (26) em um hospital particular de Aracaju. A forrozeira enfrentava complicações de um segundo Acidente Vascular Cerebral (AVC) sofrido em maio deste ano, desde então ela passou por vários hospitais, inclusive por Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). O estado de saúde se complicou com a ocorrência de uma pneumonia. Ela tinha ainda histórico de hipertensão e Parkinson.

O corpo vai ser velado na manhã desta quarta-feira (26) na Osaf localizada na Rua Itaporanga, 436, no Centro de Aracaju. O enterro está previsto para acontecer às 16h no Cemitério São João Batista que fica na Avenida São João Batista, no bairro Ponto Novo, também na capital.

Apesar de alagoana, a forrozeira que é considerada 'Rainha do Forró' se consagrou como um dos maiores ícones da música sergipana com 50 anos de carreira, gravação de 40 discos e seis CDs. Ela tem dois discos de ouro e dois de platina.

Em 1985, Clemilda ficou conhecida nacionalmente após o sucesso ‘Prenda o Tadeu’. Nesse mesmo ano ganhou o primeiro Disco de Ouro e em 1987, e o segundo prêmio veio com o LP ‘Forró Cheiroso’, mais conhecido como ‘Talco no Salão’.

Biografia
Nascida em 1936 no interior de Alagoas, Clemilda foi para o Rio de Janeiro aos 20 anos de idade e lá começou a frequentar programas de rádio, o que despertou o interesse dela pela música. O timbre inconfundível lembra a voz do nordestino nas cantorias populares.

Em 1965 a forrozeira conseguiu espaço para cantar em um programa de rádio onde conheceu Gerson Filho, tocador de fole de oito baixos e também alagoano, com quem se casou e teve dois filhos, que lhe deram cinco netos. Clemilda fez shows por várias partes do país, mas ao ver em Sergipe o sucesso do disco ‘Rodêro Novo’ ela acabou fixando moradia no estado.

Clemilda fez várias participações em discos do marido, mas somente em 1967 lançou carreira solo e se consolidou como ícone da música nordestina. Ela participou ainda de vários programas da Rede Globo como o Cassino do Chacrinha e apresentou por mais de 35 anos o programa Forró no Asfalto em uma rádio pública de Aracaju. Fonte: Globo G1.

13 de novembro de 2014

Morre aos 78 anos o filósofo Leandro Konder

Pensador se destacou nos estudos de Marx. Amigos e colaboradores manifestam pesar através das redes sociais'

12/11/2014 - RIO - Morreu nesta quarta-feira, aos 78 anos, o filósofo Leandro Konder. Ele é reconhecido como um dos autores brasileiros mais presentes nos estudos sobre Karl Marx, lecionando e escrevendo livros sobre a difusão de seu pensamento. O velório acontece na quinta-feira, às 15h, no Memorial do Carmo, em São Cristóvão. A cremação ocorre na manhã seguinte. Konder sofria de Mal de Parkinson e morreu em decorrência das complicações da doença, em sua casa.

— Nós perdemos o maior humanista e filósofo que o Brasil tinha. Um homem convicto de sua ideologia e que ao mesmo tempo conseguia conviver com os outros, sendo muito ouvido pelo outro lado. Leandro foi símbolo de uma sociedade civilizada, cordata e justa — disse o jornalista e ex-deputado federal Milton Temer, amigo pessoal de Konder.

O político, que esteve ao lado de Konder em seus últimos momentos, acredita que o filósofo finalmente "descansou" depois de uma vida de intensa luta.

— Ele teve um colapso de um processo que já vinha de longa data. Sua expressão era de repouso.

Leandro Konder era professor da PUC-Rio e da UFF. Filho do líder comunista Valério Konder, foi preso e torturado durante a ditadura militar e se exilou, em 1972, na Alemanha e, posteriormente, na França. Regressou ao país em 1978 e passou a se dedicar com afinco ao estudo das obras de Gyorgy Lukács e ao seu projeto de difundir os estudos do marxismo em terras brasileiras.

Em nota, a Boitempo Editorial, editora pela qual Konder publicou livros como "Sobre o amor", "Em torno de Marz" e "As artes da palavra", afirmou se despedir com "profunda tristeza": "Ser humano extraordinário, autor, coordenador de coleção, conselheiro e, acima de tudo, um amigo e companheiro de lutas".

Konder deixa o filho Carlos Nelson e sua mulher, Cristina. Na PUC, será realizada missa de sétimo dia em memória do filósofo.

Comuníadas

Konder integrava um grupo formado há aproximadamente 15 anos por intelectuais, os Comuníadas (nome formado pela mistura de comunistas com 'Os Lusíadas', de Camões), que se reunia uma vez por mês para celebrar a literatura e a arte. O cineasta Zelito Viana, um dos integrantes do grupo — que reúne ainda nomes como Ferreira Gullar, Sérgio Cabral, Milton Temer, Walter Carvalho e Roberto Freire — lembra que a última reunião aconteceu há um mês, com a participação de Konder.

— O Leandro era a estrela dessa comunidade. Na verdade, ao longo do tempo, esses encontros foram acontecendo como uma forma de homenageá-lo. Ele fazia poemas, que nós líamos, virou uma marca da nossa reunião. Acompanhamos a evolução da doença dele nesse período todo, mas no último almoço ele estava bem.

Como outros amigos, Viana também lembra que a generosidade era uma característica fundamental de Konder.

— Ele aceitava as diferenças. Era um democrata visceral, apesar de ser ao mesmo tempo uma pessoa radical, que saiu do PT, fundou o PSOL. Ele tinha uma posição bem nítida de esquerda, era firme, porém aceitava o diálogo, era um democrata, entendia a posição dos outros. Uma pessoa rara.

Homenagens

Zuenir Ventura, escritor, membro da ABL e colunista do GLOBO, lamentou a perda.

— É uma notícia triste. Realmente a esquerda brasileira perde uma das mais generosas e lúcidas cabeças que já conheci. Ele nunca hierarquizou as pessoas pela ideologia, botava sempre o afeto acima de todas as coisas.

O filósofo e ensaísta Sergio Paulo Rouanet lamentou profundamente a morte do amigo, principalmente no momento em que o pensamento brasileiro se mostra "tão pobre e tão ralo em geral".

— Ele era um intelectual que amava a literatura, vivia pela literatura e pela filosofia. Um marxista dos menos dogmáticos, conhecido por sua doçura, por seu carisma e generosidade — lembrou o acadêmico.

Rouanet contou que esteve num jantar com Konder há um ano e que, apesar de debilitado fisicamente, o filósofo mostrava o mesmo senso de humor de sempre, contando histórias do Partido Comunista e conversando sobre política.

— Ele tinha ficado decepcionado com o PT, embora a política fosse tudo para ele. Mas a política passava sempre por Lukács. Nossa geração lia muito e acreditava na perenidade de certas coisas: a luta de classes, a História e o sol de Ipanema.

O deputado federal Alessandro Molon comentou o falecimento de Konder através de sua conta no Twitter: "Inteligentíssimo, doce, leve, bem-humorado, generoso, altruísta, honesto e corajoso, um agregador por natureza: Leandro Konder".

Na mesma rede social, o senador Randolfe Rodrigues escreveu: "O Mundo fica mais pobre perdemos o Grande filósofo e humanista LEANDRO KONDER camarada da Luta por justiça e igualdade. Sempre Presente!"

Outro a lamentar a morte de Konder foi o documentarista Silvio Tendler.

— A morte do Leandro me enche de tristeza. Foi um dos intelectuais mais fantásticos que eu tive a honra de conhecer. Uma pessoa querida, espirituosa, que lutou ate o fim, sem nunca abrir mão do seu pensamento, nem de sua política. Lá no céu, ele e o Carlos Nelson Coutinho vão continuar juntos, discutindo Marx e Lukács.

João Alegria, diretor adjunto do Canal Futura, falou sobre o aprendizado com Konder.

"Por quatro anos fui aluno do Leandro durante meu doutorado no Departamento de Educação da PUC-Rio. Sabendo que ele era professor lá, dei um jeito de me inscrever em todas as disciplinas que ele oferecia. Acho que cursei todas elas. Tenho claro em minha mente as lições de filosofia, de educação, de cinema... Penso no Leandro e me ocorrem a sua transparência e firmeza no olhar, a delicadeza da fala, a profundidade do argumento. Quase ouço outra vez sua pergunta desconcertante após minha defesa de tese no doutorado: '...seria ele um integralista?'. Com o Leandro aprendemos a cultivar o desassossego da alma, o inconformismo, o desejo de mudança. Obrigado, mestre."

Sonia Kramer, professora do Departamento de Educação da PUC-Rio, conviveu com Konder por décadas.

Convivi com o Leandro desde 1988, quando fui sua aluna e orientanda de doutorado, e desde então nos tornamos grandes amigos. Leandro me ensinou a simplicidade, a sabedoria, a escuta, a pergunta, a presença, a elegância, o humor. E agora a saudade. Fonte: Globo G1.

22 de outubro de 2014

Ex-agente da CIA que inspirou "Argo" revela estar com Parkinson, diz jornal

21/10/2014 - O ex-agente da Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA) Tony Mendez, que liderou a operação que inspirou o filme "Argo", sofre de Parkinson, publicou nesta terça-feira (21) o jornal "The Washington Post".

"Argo" (2012), dirigido e protagonizado por Ben Affleck, que interpreta Mendez, narra a história real da operação de resgate de seis funcionários da embaixada americana em 1980 durante a crise dos reféns no Irã. Mendez, autor de três livros e responsável por orquestrar a operação, se transformou em uma celebridade depois do filme e manteve sua doença com discrição. No entanto, em um simpósio da Fundação Focused Ultrasound, uma organização que colabora na busca por tratamentos contra a doença, ele decidiu falar publicamente sobre o caso ao lado de sua mulher, Jonna Hiestand, também ex-agente da CIA.

O objetivo do casal é que a fama de Tony ajude a captar a atenção do público em favor de novos tratamentos.

"Se podemos encher uma sala para que um grupo de pessoas escute tanto sobre 'Argo' quanto sobre 'assim é como lidamos com o Parkinson...', então esta é como sua última missão", assinalou sua esposa em declarações ao jornal.

Jonna reconhece o marido "teve problemas para aceitar o diagnóstico", que coincidiu com o início de sua popularidade por conta do filme, quando passou a receber convites para dar conferências no mundo todo.

No meio deste ano, Mendez passou por uma intervenção de estimulação cerebral profunda, uma operação para implantar um eletrodo no cérebro e um estimulador no peito que emitem pequenos impulsos elétricos para bloquear os sintomas. Fonte: Cinema UOL.
Assim é bonito. Ainda mais para um ex-agente da CIA!

4 de outubro de 2014

Hugo Carvana morre aos 77 anos

Diretor fez filmes como 'Vai trabalhar, vagabundo' e 'Bar Esperança'.
Como ator, trabalhou nas novelas 'Roda de fogo' e 'Celebridades'.

04/10/2014 - O cineasta e ator Hugo Carvana morreu neste sábado (4) aos 77 anos no Rio. De acordo com o hospital em que Carvana estava internado desde o último domingo (28), em Botafogo, na Zona Sul, ele teve complicações causadas por um câncer no pulmão.

O velório será neste domingo (5) a partir das 9h, no Parque Lage, no Jardim Botânico. O corpo será cremado na segunda-feira (6), em cerimônia fechada para a família no Memorial do Carmo, no Caju, Zona Portuária.

Ao longo da carreira, iniciada em 1955, Hugo Carvana ficou marcado por retratar o típico "malandro carioca" em suas comédias de costumes. Foi ator de mais de 50 filmes. Dentre as produções que dirigiu, estão "Vai trabalhar, vagabundo" (1973), "Se segura, malandro" (1977), "Bar Esperança, o último que fecha" (1982), "O homem nu" (1996), "Casa da mãe Joana" (2007) e "Não se preocupe, nada vai dar certo" (2009).

"Ele não era somente um ator extraordinário, mas diretor, um intelectual que pensava o Brasil. É uma coincidência triste: Carvana era como José Wilker, um autor, pensava as coisas do Brasil, do cinema, tinha interesse grande pelo estado do mundo”, disse o cineasta e grande amigo Cacá Diegues, lembrando a morte do também ator e diretor José Wilker, em 5 de abril passado (veja a repercussão da morte de Hugo Carvana).

Homenagem no Festival do Rio
No último sábado (27), o Festival do Rio realizou uma sessão especial de "Vai trabalhar, vagabundo", com cópia restaurada. Os quatro filhos de Hugo Carvana – todos com a jornalista e agora viúva Martha Alencar – estavam presentes: Júlio, Cacala, Rita e Pedro Carvana. Devido à saúde debilitada, o cineasta não pôde comparecer.

"Em nome da família a gente quer agradecer às manifestações dos amigos. O Carvana é um e diretor fundamental para nossa cultura. O Carvana lutou o quanto pode e essa semana infelizmente ele partiu. A homenagem do Festival do Rio foi uma benção. Recuperaram o negativo do primeiro filme dele dirigido em 54. O filme vai passar amanhã [domingo] em Guadalupe. É uma bela homenagem a ele. Ele estava muito feliz com essa edição do festival", disse Julio Carvana, um dos filhos, no hospital.

Na TV Globo, atuou também em novelas como "Corpo a corpo" (1984), "Roda de fogo" (1986), "O dono do mundo" (1991), "De corpo e alma" (1992), "Fera ferida" (1993), "Celebridade" (2003) e "Paraíso tropical" (2007). Um de seus papéis mais conhecidos foi o do repórter policial Valdomiro Pena, do seriado "Plantão de polícia" (1979-1981).

'Se o Cinema Novo tivesse um rosto, seria o Carvana', diz Cacá Diegues
Seu último trabalho como diretor foi "Casa da mãe Joana 2" (2013). Como ator, fez parte do elenco de "Giovanni Improtta" (2013), de José Wilker.

Hugo Carvana nasceu no dia 4 de julho de 1937, filho da costureira Alice Carvana de Castro e do comandante da Marinha Clóvis Heloy de Hollanda. Era "um ilustre suburbano de Lins de Vasconcelos, que nunca renegou sua origem simples", conforme destaca o perfil no site oficial. O texto reforça que o ator e diretor ficou marcado em sua trajetória por ter "um quê de malandragem".

Na juventude, para conseguir entrar no estádio e torcer pelo Fluminense, costumava se disfarçar de vendedor de balas e ambulante. "Figura obrigatória nas mesas dos bares da noite carioca, cultivou amizade com grandes nomes da boemia e das artes – Roniquito, Ary Barroso, Tom Jobim, Vinicius de Moraes, foram alguns", diz o perfil.

"Através dessa vivência criou personagens que povoam o universo carioca, como o malandro Dino em 'Vai trabalhar vagabundo'." A primeira vez em que viveu esse tipo de personagem foi em "O capitão Bandeira contra o dr. Moura Brasil" (1970), de Antônio Calmon. Fonte: Globo G1.

A reportagem não diz, mas HC tinha parkinson.

12 de setembro de 2014

Doença de Parkinson não impede Helen Mirren de brilhar por onde passa

Atriz se mostra disposta em divulgar seu trabalho

Foto: Getty Images
11/09/2014 - Aos 69 anos, Helen Mirren continua a brilhar em cada aparição pública e em cada projeto de cinema. A atriz britânica é a estrela de A Viagem dos Cem Passos e tem viajado pelo Mundo para promover o filme. Aliás, numa conferência de imprensa que aconteceu em Londres, Mirren surgiu mais elegante do que nunca e mostrou-se radiante por interpretar uma mulher francesa na longa metragem produzido por Oprah Winfrey e Steven Spielberg.

No evento, a atriz, vencedora do Óscar de Melhor Atriz  em 2007 pelo filme A Rainha, esteve bem disposta e não revelou sinais de cansaço, apesar de sofrer com a doença neurológica e crónica de Parkinson.

"Ter Parkinson é um processo lento, mas inevitável. É difícil viver com ele diariamente”, disse ao jornal The Guardian em 2010.

Mesmo lidando com a doença, Mirren tem seguido o seu curso natural, no que se pode considerar uma longa carreira de sucesso. Fonte: O Fuxico.

4 de setembro de 2014

Aos 94 anos, Eva Todor está reclusa por causa de Parkinson

04/09/2014 - Aos 94 anos, Eva Todor está reclusa em casa, no Flamengo, por causa da doença de Parkinson. Viúva e sem filhos, depende dos cuidados do motorista, Marcos Otaviano, seu funcionário há 24 anos, e de um esquema de home care. A atriz recebe poucas visitas, escuta mal e fala com dificuldade, mas se diz empolgada com os “120 anos de carreira”, ano que vem.

- Serão 40 de Globo e 80 de teatro. Não quero festa, só fazer um discurso agradecendo o público. Gostaria de festejar, se Deus permitir e me der saúde, com mais um trabalho, não precisa ser grande - diz a atriz à coluna. Fonte: Globo G1.

21 de agosto de 2014

Edward Leffingwell morre aos 72 anos nos Estados Unidos

20 de Agosto, 2014 - Crítico e curador reconhecido como um dos grandes promotores da arte contemporânea brasileira nos EUA, Edward Leffingwell morreu, aos 72 anos, em Flushing, Queens, vítima das consequências da doença de Parkinson. A morte de Leffingwell, no dia 5, foi anunciada por seu irmão Thomas Lefingwell. Nascido em 3 de dezembro de 1941, filho de um físico, desde adolescente Leffingwell mostrou interesse pelo universo artístico, enquanto vivia em Toungstown. Em 1960, já instalado em Nova York, tornou-se amigo do artista brasileiro Hélio Oiticica, um dos grandes nome do neoconcretismo, e de vários integrantes da Factory de Andy Warhol.

Sua carreira como curador começou há 30 anos, quando assumiu a direção do P.S.. 1, espaço destinado à arte experimental, posteriormente incoporado ao Museu de Arte Moderna de Nova York (agora MoMA/P.S.1). Um dos artistas promovidos por Leffingwell na época foi o escultor minimalista John McCracken. Ele também lançou o polêmico artista texano Michael Tracy, pioneiro do neoexpressionismo.

Em 1988, o curador assumiu a direção da Los Angeles Municipal Art Gallery, promovendo artistas como George Herms e expondo latinos, muitos deles brasileiros, além de assinar a curadoria de salas especiais na Bienal de São Paulo, da qual virou uma espécie de embaixador. Um dos artistas revelados por ele é o cineasta underground Jack Smith (1932-1989), precursor do cinema camp e ator em filmes de Warhol. Fonte: Diario Web.br.

18 de agosto de 2014

Helen Mirren


18/08/2014 - La noticia de que el actor Robin Wiliams padecía parkinson ha conmocionado a más de uno. La última en solidarizarse con el intérprete de 'El club de los poetas muertos' ha sido la también actriz Helen Mirren, la actriz de 'The Queen' explicó en 'The Guardian' que ella también sufría esa enfermedad y se abrió para contar las dificultades que conlleva.

30 pessoas notáveis ​​com doença de Parkinson

Aug 17, 2014 - Slide Show em WCV Boston. Clique para ver.

14 de agosto de 2014

Robin Williams sofria de Parkinson, revela a sua viúva Susan Schneider

A revelação foi feita esta quinta-feira num comunicado enviado à imprensa
O actor morreu esta segunda-feira aos 63 anos na sua casa nos arredores de São Francisco REUTERS/FRED PROUSER
14/08/2014 - Para além de lutar com uma depressão, Robin Williams convivia no momento da sua morte com a fase inicial da doença de Parkinson. A revelação foi feita esta quinta-feira num comunicado emitido por Susan Schneider, viúva do actor.

Nele é referido que Williams, que no passado vivera a dependência de álcool e outras drogas, se mantinha sóbrio e que fora “corajoso” na sua luta com a “depressão, ansiedade, bem como com os primeiros sintomas da doença de Parkinson, que ainda não estava preparado para partilhar publicamente”.

Susan Schneider terminou a comunicado afirmando a esperança de que, “na sequência da morte trágica de Robin, outros encontrem forças para procurar os cuidados e o apoio de que necessitam para tratar quaisquer batalhas que estejam a enfrentar, para que se possam sentir menos assustados”.

Robin Williams, actor e comediante reconhecido mundialmente por filmes como Bom Dia, Vietname ou Clube dos Poetas Mortos, morreu esta segunda-feira aos 63 anos na sua casa em Marin County, Califórnia. Os relatórios policiais apontaram asfixia por enforcamento como a causa da morte. Fonte: Público.pt.

13 de agosto de 2014

COM DOENÇA DE PARKINSON, MÃE DE XUXA É INTERNADA NO RIO DE JANEIRO

Apresentadora pediu para que os fãs rezassem por sua mãe

12 Agosto 2014 - Dona Alda, mãe de Xuxa, foi internada na noite dessa segunda-feira no Hospital Barra D'Or, no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da apresentadora a Flashland nesta tarde. A representante da estrela disse não ter detalhes sobre o estado de saúde de Dona Alda.

Na noite dessa segunda, Xuxa pediu para que seus seguidores no Facebook rezassem por sua mãe. "Oi, gente, vocês podem rezar pela minha Aldinha? Por favor... Estou sem força, hoje ela não acordou pra nada, dorme profundamente. Estou com medo", escreveu ela.

Dona Alda sofre com a doença de Parkinson há cerca de 12 anos. Fonte: Flash land.

27 de julho de 2014

Morre o astrônomo Ronaldo Mourão

Autor de 98 livros, era um dos mais respeitados astrônomos brasileiros

26/07/2014 - RIO - Morreu na noite desta sexta-feira o astrônomo Ronaldo Rogério de Freitas Mourão, de 79 anos. Ele estava internado no Hospital Quinta D'or desde sábado (19) com pneumonia dupla. O astrônomo também sofria do Mal de Parkinson. Há cerca de duas semanas, Mourão sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) hemorrágico.

Fundador do Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast) e pesquisador e sócio titular do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IGHB), Ronaldo Rogério de Freitas Mourão ficou conhecido como uma das maiores autoridades em astronomia do Brasil. O astrônomo publicou seus primeiros artigos de divulgação científica na revista Ciência Popular, em 1952, tem 98 livros publicados e mais de mil ensaios em livros, revistas e jornais.

Em 1956, Mourão foi admitido na Universidade do Estado da Guanabara (atual Uerj) onde obteve, em 1960, os títulos de Bacharel e Licenciado em Física pela Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras. Ainda em 1956 ele foi nomeado auxiliar de astrônomo do Observatório Nacional.

Em julho de 1967, ele obteve o título de doutor pela Universidade de Paris com menção muito honrosa. Em dezembro do mesmo ano, Mourão voltou para o Brasil, reassumindo suas funções como astrônomo no Observatório Nacional e pesquisador no Conselho Nacional de Pesquisa. Em março do ano seguinte foi nomeado astrônomo chefe da Divisão de Equatoriais.

As principais contribuições astronômicas do pesquisador foram feitas no campo das estrelas duplas, asteroides, cometas e estudos das técnicas de astrometria fotográfica. Em janeiro de 1997, ele foi agraciado pelo Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo com o colar do centenário e o respectivo diploma, como destaque cultural do ano de 1996. Em março de 1999, tomou posse na Academia Luso-Brasileira de Letras, na cadeira 38, que tem como patrono Gregório de Matos. Em junho do mesmo ano, foi eleito membro da Academia Brasileira de Filosofia, na cadeira 41, que tem como patrono Roberto Marinho de Azevedo.

Ao lançar "O livro de ouro do universo", em 2001, mais uma obra sobre sua especialidade, o astrônomo acabou revelando que é cético em relação às previsões dos astros. Durante uma entrevista, o cientista surpreendeu ao comentar sobre a astrologia:

— É claro que os astros não mentem jamais. Eles não dizem nada mesmo — disse.

O secretário Marcelo Belo David, que trabalhou com ele por 31 anos, ressaltou que Rogério Mourão é considerado um ícone na história da astronomia brasileira.

— Ele era uma pessoa muito humana e maravilhosa. Fez muita coisa pelo Brasil. Abriu mão de sua carreira internacional para se dedicar a astronomia brasileira, um de seus grandes sonhos — contou.

Mourão deixa quatro filhos e dois netos. O corpo do astrônomo foi sepultado neste sábado no Cemitério São Francisco Xavier, no Caju. Fonte: Globo G1.

24 de julho de 2014

Baterista do Mr. Big está com mal de Parkinson


24 de julho de 2014 - O site WHD.co.jp divulgou que o baterista Pat Torpey, do Mr. Big, está com mal de Parkinson. De acordo com a publicação, a doença o impedirá de fazer as datas da vindoura turnê mundial da banda, que divulga o álbum “…The Stories We Could Tell”, a ser lançado ainda neste ano. O grupo confirmou a informação em sua página oficial no Facebook.

Em entrevista ao site, Pat Torpey disse que sente os sintomas há alguns anos. “Só agora recebi o diagnóstico de que os sintomas pioraram. Quero lutar contra a doença com a mesma intensidade que toco bateria e minha vida vai continuar a mesma, com gravações e shows com o melhor da minha habilidade”, disse.

O Mr. Big deve anunciar em breve um novo baterista que vai assumir a maioria das datas de shows da banda, que começam nos próximos meses. É esperado que Torpey continue a excursionar com a banda sempre que possível, com participação nos sets acústicos e nas canções mais adequadas. Fonte: Van do Halen.

6 de julho de 2014

Chefe da igreja ortodoxa russa na Ucrânia morre em Kiev

Anúncio foi feito pelo patriarcado de Moscou em seu site.
Volodimir, de 78 anos, estava internado em hospital.
Volodimir, chefe da igreja ortodoxa russa na Ucrânia, em foto de 5 de janeiro de 2014 (Foto: Sergei Chuzavkov/AP)
05/07/2014 - O metropolitano Volodimir, chefe da igreja ortodoxa russa na Ucrânia, morreu na noite de sexta-feira (4) em Kiev, anunciou o patriarcado de Moscou em seu site.

Segundo a imprensa local, o eclesiástico de 78 anos estava internado numa clínica da capital ucraniana devido a uma hemorragia interna, depois de travar uma longa batalha contra um câncer e o Mal de Parkinson.

A igreja ortodoxa ucraniana subordinada ao patriarcado de Moscou é, com suas 11.000 paróquias, a principal comunidade religiosa do país, à frente da igreja ortodoxa nacional independente, dirigida pelo patriarca de Kiev Filareto e criada depois da queda da URSS.

As relações entre as duas igrejas costumam ser tensas, e isso se agravou com a rebelião dos separatistas pró-russos no leste da Ucrânia.

Volodimir evitou alinhar-se com o patriarcado de Moscou, propenso a seguir a linha política do Kremlin.

O chefe da igreja ortodoxa russa, o patriarca Kiril, homenageou o falecido neste sábado, ao dizer que ele "carregou durante 22 anos a pesada cruz da responsabilidade do destino da ortodoxia na Ucrânia". Fonte: Globo G1.

16 de junho de 2014

Morre aos 79 anos o empresário Moise Safra

15/06/2014 - Banqueiro e empresário de origem libanesa sofria de Mal de Parkinson e estava internado no Hospital Albert Einstein. (segue...) Fonte: Globo G1.

1 de maio de 2014

Morreu o actor Bob Hoskins

Abril 30, 2014 - Bob Hoskins já sofria há alguns anos de Parkinson e reformou-se em 2012.

Bob Hoskins morreu esta terça-feira à noite, aos 71 anos, vítima de pneumonia, avançou o seu agente.

O actor britânico ficou célebre pelo seu papel “Em quem tramou Roger Rabbit”, pelo qual venceu um “Globo de ouro” e um “Bafta”.

A sua mulher e filhos declararam em comunicado estarem completamente “devastados com a morte do adorado Bob”.

A família do actor pede igualmente que respeitem a sua privacidade e agradece as mensagens de apoio.

Bob Hoskins já sofria há alguns anos de Parkinson e reformou-se em 2012.

O actor morreu pacificamente no Hospital, rodeado da família. Fonte: Antena Lusa.

10 de abril de 2014

Morre o arquiteto David Libeskind

Aos 85 anos, ele sofria de mal de Parkinson

10/04/2014 | O arquiteto David Libeskind morreu nesta quarta-feira (9/4), em São Paulo, informou o site Folha de São Paulo. Autor do projeto do Conjunto Nacional na cidade, ele tinha 85 anos e sofria de mal de Parkinson.

Nascido em Ponta Grossa, no Paraná, Libeskind mudou-se ainda pequeno para Belo Horizonte. Entre 1947 e 1952, cursou arquitetura na Universidade Federal de Minas Gerais. Ele atuou também como artista gráfico, ilustrador e pintor, tendo como mentor o professor modernista Guignard (1896 - 1962).

Além do Conjunto Nacional, projetado na década de 1950, o arquiteto também desenvolveu edifícios e residenciais em Higienópolis, casas no Pacaembu e nos Jardins, escolas e bancos.

O velório ocorrerá na manhã desta quinta-feira (10/4), no cemitério Israelita do Butantã, em São Paulo. Fonte: Zero Hora.

8 de abril de 2014

Fergus Henderson recebe prêmio por sua revolução da culinária britânica

Chef britânico sofre de Mal de Parkinson, mas passou os últimos 20 anos inovando na cozinha
Fergus Henderson, de 51 anos, ganha prêmio pela trajetória

8/4/2014 - O chef britânico Fergus Henderson foi reconhecido nesta terça-feira (8) com o prêmio Diners Club por toda sua trajetória, após mais de duas décadas de gastronomia inovadora à frente de seu restaurante St. John de Londres, informou a revista "Restaurant", que recentemente premiou a brasileira Helena Rizzo.

A cerimônia de premiação acontecerá no próximo dia 28 de abril, quando serão entregues em Londres os prêmios dos 50 Melhores Restaurantes do Mundo de 2014 dessa revista britânica.

O chef inglês, de 51 anos, é considerado um revolucionário da culinária britânica, por sua originalidade na hora de conceber seus pratos e pela ideia que todas as partes do animal podem ser aproveitadas como ingrediente, o que levou esta gastronomia a adquirir um "novo enfoque", segundo William Drew, editor do Grupo dos 50 Melhores Restaurantes do Mundo.

Apesar de sofrer do Mal de Parkinson desde o final dos anos 90, Henderson passou os últimos 20 anos inovando na cozinha britânica com contribuições como a revalorização dos produtos autóctones.

Ao saber da homenagem, Henderson assegurou sentir-se "muito honrado" por receber este prêmio. O chef é desde 1994 sócio cofundador do restaurante St. John, com duas estrelas Michelin, e em 1995 foi agraciado pela rainha Elizabeth II com a ordem do Império Britânico por seus serviços à gastronomia.

Outro prêmio já conhecido que será entregue em Londres no dia 28 é o de melhor chef do mundo, concedido há poucos dias à brasileira Helena Rizzo, do restaurante Maní, em São Paulo. Fonte: Record R7.

1 de abril de 2014

Jane Fonda revela batalha do seu namorado Richard Perry com Parkinson

April 1, 2014 - O namorado de Jane Fonda, o produtor musical Richard Perry, disse-lhe que tinha a doença de Parkinson há mais de quatro anos.

Agora ela está trazendo a público a batalha dele.

"Nós decidimos que eu deveria fazê-lo porque os sintomas estão aumentando e senti que era melhor que as pessoas soubessem, porque ele às vezes oscila, cambaleia ou gagueja um pouco e pensam que ele esteja bêbado (já aconteceu ) ou em “off”, explicou ela em seu blog. "É outro sintoma comum dessa doença. O transmissor químico do cérebro, dopamina, é reduzido em pacientes de Parkinson... [e] quando os níveis de dopamina são reduzidos, a frouxidão muscular pode causar a uma pessoa o olhar em branco, desinteressado, quando, de fato, não é o caso".

Fonda, 76, escreveu que Perry primeiro contou a ela sobre a doença em seu primeiro encontro - embora ela não tivesse pensado muito sobre isso no momento. No entanto, após seu relacionamento ter ficado mais sério, ela se interessou sobre a saúde dele.

"Eu disse: Richard se você não levar a sua doença a sério e se tornar um especialista nisso para que você saiba exatamente quais são suas opções, não vou por aí, escreveu ela." E o fez se tornar um especialista. Ele tem um neurologista top linha de doenças motoras, trabalha todos os dias, faz yoga, toma seus remédios (bem, eu tenho que lembrá-lo algumas vezes, porque, quando os sintomas foram piorando, eu fui com ele ao médico e descobrimos que o cronograma dos medicamentos é fundamental). Quem diria."

"Parece que tenho que me tornar uma especialista, bem como, "ela continuou. "Afinal de contas, como a doença tem um longa vida - 20 ou mais anos, e não é diretamente a vida com risco a que eles se referem o "viver com Parkinson."

Desde que se tornaram um casal, Fonda acrescentou que os dois tomaram conta um do outro com freqüência, como ela teve "inúmeras cirurgias" para várias doenças. Ela também disse que cuidar de Perry, que começou a gaguejar e balançar como resultado da doença, lhe ensinou um pouco sobre empatia e bondade.

"Richard e eu estamos gratos que mais e mais pessoas estão falando sobre a doença de Parkinson, o mais especial e importante, Michael J. Fox", escreveu ela. "Então, com este blog, estamos juntando publicamente o discurso." (original em inglês, tradução Google, revisão Hugo) Fonte: ABC News.

24 de março de 2014

Debilitado pelo Mal de Parkinson, Gil Gomes desabafa com Geraldo Luis

24/03/2014 - Neste domingo (23), estreou na Record o Domingo Show, atração comandada por Geraldo Luis na emissora.

Uma entrevista emocionante prendeu o telespectador: Gil Gomes, de 73 anos, contou um pouco de sua vida, sua doença e seu maior arrependimento.

Gil tem Mal de Parkinson e disse que sente muita saudade dos tempos em que conseguia falar mais e que podia trabalhar.

"Eu sinto saudade de falar. Agora sai tudo enrolado."

Durante a conversa com o radialista e repórter, que também fez sua marca no humor brasileiro quando interpretava um dos professores da extinta Escolinha do Barulho, da Record, Gil Gomes falou da quantidade de vezes que teve de noticiar mortes de pessoas comuns, principalmente quando estava no programa Aqui Agora, do SBT.

"Não sei quantas mortes eu narrei. Eu sei que, pelas minhas contas, a polícia esclareceu 600 crimes por conta de informações nossas. Eu estudava a pessoa, aquela pessoa não era só o criminoso, não era a vítima”.

Com o vício em apostas nas corridas de cavalos, Gil confessa ter perdido muito do dinheiro que ganhou enquanto radialista.

"Eu joguei muito. Fui a cassinos, comprei cavalos, fiz tudo que eu quis. Comprometeu a minha vida, mas não acabou com ela. Tive duzentos e cinquenta cavalos.Ganhei muito dinheiro. Tudo isso me comprometeu financeiramente, mas não acabou com a minha vida. Ajudei muita gente. Só não ajudei a mim mesmo. Morava numa casa no Morumbi que tive de me desfazer quando o Aqui Agora acabou. Também vi que o rádio tinha acabado para mim. Então, vendi. Não guardei dinheiro porque achei que não precisava e que não ficaria velho. Aliás, achava que trabalharia até o fim da minha vida".

Seu grande amor:

"Tive muitas mulheres, claro. Foram paixões. O único amor foi minha ex-mulher Eliana".

Sobre o Mal de Parkinson, Gil diz que tudo começou com a morte de seu filho, Guilherme. O jornalista estava no meio de uma das gravações da Escolinha do Barulho, na Record, quando recebeu a notícia de que o rapaz havia falecido. Mesmo assim, ele não parou a gravação e foi até o final.

"Foi a maior tristeza da minha vida. Meu médico acha que o Parkinson veio de um choque inicial que foi a morte do Guilherme por hepatite em 2000. Que é essa tremedeira, e essa voz. Sabe, eu era gago quando era pequeno e agora está voltando".

O único arrependimento de sua vida:

"Quando você vê um jovem criminoso olhar pra câmera e dizer: matei mesmo, matei, matei, matei. Eu queria colaborar com isso, para que não acontecesse mais. Mas falhei. É meu maior arrependimento", afirmou, referindo-se a sempre querer ter se tornado uma lenda em programas policiais.

Quase no final da matéria, Geraldo levou Gil ao local onde há anos foi mantido um dos maiores presídios de São Paulo, o Carandiru. Lá, Gil Gomes desabafou sobre a chacina que aconteceu no local, em 2 de outubro de 1992:

"Foram mais de 300 mortos e não 111. Isso é mentira. Estive aqui no dia seguinte ao massacre. O necrotério era minha segunda casa. Passei lá e em um primeiro momento não me deixaram entrar. Era um dia de eleição e estranhei. Fui ao bar o lado e ouvi um funcionário lamentando. Ele disse: 'Chegaram muitos corpos, mais de 300'. Me assustei ao ver cerca de 300 corpos. Eu comentei isso na viatura e a notícia se espalhou pela imprensa. Nunca ninguém me procurou para contar isso. Fui testemunha. Sabe por que nunca me chamaram? Porque nunca a verdade aparece neste país".

Gil pode rever suas filhas, vindas diretamente de Curitiba, após dois anos longe. A emoção tomou conta de todos, mas o durão e ao mesmo tempo sensível Gil disparou:

“Estou emocionado. Mas não vou chorar”. Fonte: O Fuxico.

26 de fevereiro de 2014

Ator escocês descobriu que tinha mal de Parkinson por causa de um “toque” de fã

Admirador, que também é médico, percebeu sintomas iniciais da doença no jeito de andar de Billy Connolly, de 71 anos

24/02/2014 - Aos 71 anos, o ator escocês Billy Connolly pode agradecer muito pelos fãs que tem. Em recente entrevista a uma rádio dos EUA, o comediante contou que descobriu ter mal de Parkinson graças a um admirador australiano.

Connolly estava no saguão de um hotel em Los Angeles quando foi abordado por um homem. "Ele veio até mim e disse, 'Billy, sou um grande fã seu, sou da Tasmânia [ilha da Austrália]. Sou cirurgião e estava olhando seu jeito de caminhar, você tem um andar estranho. Você demonstra sintomas iniciais da doença de Parkinson. Consulte seu médico".

O ator seguiu o conselho e, após os exames, descobriu que realmente tinha o mal de Parkinson.

O comediante anunciou em setembro de 2013 que estava se tratando da doença degenerativa (mas ele diz ter parado com os remédios, sob supervisão de seu médico) e declarou que tinha câncer de próstata.

O tumor maligno, descoberto por meio do exame de toque, foi eliminado após uma cirurgia em dezembro último.

"[Morrer] nunca passou pela minha cabeça. É aquela coisa arrogante: eu penso que vou viver para sempre", brincou o ator.

Connolly também declarou ter esperança na evolução de tratamentos com células-tronco, mas reconhece que as leis atuais barram a maioria dos testes envolvendo esse recurso. Fonte: Revista Monet.

23 de fevereiro de 2014

Mãe de Xuxa tem alta após 38 dias de internação em hospital do Rio

Dona Alda estava internada por conta de uma pneumonia. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da apresentadora.
22/02/2014 - A mãe de Xuxa Meneghel, dona Alda Flores Meneghel, teve alta na tarde deste sábado, 22, do Hospital Barra D'Or, no Rio, onde estava internada há 38 dias por conta de uma pneumonia complicada pela doença de Parkinson. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da apresentadora.

A internação de Dona Alda, em janeiro, fez com que a filha antecipasse sua volta dos Estados Unidos, onde passava férias com o namorado Junno. Na ocasião, Xuxa se manifestou em seu perfil do Facebook e  agradeceu aos fãs e seguidores pelo carinho e as orações para a mãe. "Oi gente! Obrigada pelas orações, o carinho, as mensagens pra minha mãe. Continuem rezando, tá? Ela tá ainda no hospital, tá muito bem cuidada. Falei para ela que vocês estão rezando, mandando boa energia pra ela. Que Deus abençoe e proteja cada um de vocês.", escreveu ela. Fonte: Globo G1.

Morre o polêmico diretor argentino de cinema Jorge Polaco

Ele causou controvérsia com filme proibidio em 1989 sob acusação de cenas obcenas e atentado ao pudor
21/02/14 - RIO - O polêmico diretor argentino de cinema Jorge Polaco faleceu nesta quinta-feira, aos 67 anos, em uma clínica de Buenos Aires, onde estava internado, informaram seus familiares.

"Estamos muito tristes e em choque ainda, acaba de acontecer. Teve uma parada cardiorrespiratória", disse Liliana Polaco, uma das irmãs do cineasta. Há anos, Jorge sofria de Mal de Parkinson. Polaco dirigiu oito filmes, entre eles "Diapasón" (1986) e "En el nombre del hijo" (1987), reconhecidos em festivais internacionais.

Sua grande polêmica foi com "Kindergarten", protagonizado por Graciela Borges e Arturo Puig, proibido em 1989 sob acusações de "corrupção de menores, cenas obscenas e atentado ao pudor".

Embora a medida judicial tenha sido revogada seis meses depois, o filme nunca foi exibido no circuito comercial. Em 2010, foi visto no Festival Internacional de Cinema de Mar del Plata (sul). Sua última criação foi "Príncipe azul", que estreou nas telonas em setembro passado. Veja o trailer aqui. Fonte: Globo G1.

21 de fevereiro de 2014

Felipe González se querella contra aquellos que aseguraron que padecía párkinson / Espanha

"ESTÁ PERFECTAMENTE SANO"
20/02/2014 - “Indignado”. Así se encuentra Felipe González después de que estos días algunos medios de comunicación hayan asegurado que recientemente se le ha diagnosticado Parkinson en una fase inicial, que ya se lo había comunicado a su familia y que todos se preparaban para lo que venía en un futuro. Su círculo más cercano no sólo niega la información, sino que asegura además que el expresidente del Gobierno se ha querellado contra quienes han vertido estas informaciones.

"No padece ninguna enfermedad y la publicación de esta noticia le ha hecho mucho daño y ha provocado daños colaterales de extrema gravedad. No sólo en el aspecto emocional y personal, sino también en el laboral”, aseguran a Vanitatis miembros de la familia de González. “Él tiene compromisos relacionados con sus conferencias en mesas redondas, en instituciones y universidades nacionales e internacionales y a los organizadores les puede quedar esa incertidumbre”, añaden. (segue...) Fonte: Vanitatis.es.

20 de janeiro de 2014

Com a mãe no CTI, Xuxa antecipa volta das férias aos EUA: 'Momento delicado'

SEGUNDA-FEIRA 20 JANEIRO 2014 - Xuxa Meneghel antecipou a volta de suas férias nos EUA por um único motivo: a mãe está internada no CTI (Centro de Terapia Intensiva) de um hospital na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro. Dona Alda, que sofre de Mal de Parkinson há 12 anos, deu entrada na emergência do hospital com um quadro de pneumonia. (segue...) Fonte: Pure People.

6 de janeiro de 2014

Chef Paul Bocuse é internado na França

03/01/2014 - O chef francês Paul Bocuse, um dos mais renomados profissionais da gastronomia no mundo, foi internado na última segunda-feira (30) em um hospital de Lyon, na França.

A informação, que havia sido antecipada pelo jornal "Le Progrès", foi confirmada nesta sexta pela assessoria do chef.

Segundo a publicação, Bocuse estava há pelo menos três meses sofrendo de dores nas costas, sendo obrigado a caminhar com a ajuda de um andador e impossibilitado de deixar sua casa, na comuna de Collonges, no leste do país.

Um funcionário da clínica onde ele está em observação informou à imprensa francesa que ele se mantém consciente, com as funções vitais fora de perigo. Bocuse está acompanhado da família.

O chef, que vai completar 88 anos no próximo dia 11 de fevereiro, sofre da doença de Parkinson e já passou por cirurgias cardíacas. Há um ano ele foi hospitalizado por cerca de dez dias por causa de uma forte gripe.

Um dos criadores da chamada "nouvelle cuisine", Bocuse já recebeu dezenas de prêmios, entre eles o de cozinheiro do século 20, concedido pelo guia francês "Gault & Millau" em 1989.

O "Michelin" o elegeu chef do ano na França em 1961, três anos depois de seu principal restaurante, o L'Auberge du Pont de Collonges, ter ganhado a primeira estrela –a terceira viria em 1965 e jamais foi perdida.

Além de prêmios gastronômicos, ele recebeu a medalha da Legião de Honra, uma das mais altas distinções francesas, em 1975. Fonte: Folha de S.Paulo. Disponível em áudio.

3 de janeiro de 2014

Dan Spitz manifesta primeiros sinais do Mal de Parkinson



02 de janeiro de 2014 - A esposa do guitarrista Dan Spitz (Anthrax, Red Lamb), Candi, negou ter sido agredida pelo marido na noite de natal. Ela ainda revelou ao Gossip Extra que o músico está passando por um momento difícil. “Dan está manifestando os primeiros indícios do Mal de Parkinson”. O casal tem dois filhos autistas e se tornou símbolo de campanhas nos Estados Unidos. Fonte: Van do Halen.